Hepatite B

07-01-2011 14:57

A hepatite B, provocada pelo Vírus da Hepatite B (VHB) , foi descoberta em 1965, é a mais perigosa das hepatites e uma das principais doenças do mundo, estimando-se que existam 350 milhões de portadores crónicos do vírus . Estes portadores podem desenvolver doenças hepáticas graves, como a cirrose e o cancro no fígado, patologias que matam um milhão de pessoas por ano em todo o planeta, contudo, é fácil prevenirmos-nos contra o vírus, através da vacina da hepatite B que tem uma eficácia de 95 por cento.

O vírus transmite-se através de contacto com o sangue e fluidos do corpo de uma pessoa infectada, da mesma forma que o vírus da imunodeficiência humana (VIH), que provoca a Sida, só que o vírus da hepatite B é 50 a 100 vezes mais infeccioso do que o VIH .

Existe também a possibilidade de transmissão de mãe para filho, no momento do nascimento, uma forma de contágio especialmente grave e comum nas zonas hiperendémicas dos países em desenvolvimento, onde a maior parte dos infectados contrai o vírus durante a infância. Nos países industrializados, esta faixa etária é a que se encontra mais «protegida» já que a vacina contra a hepatite B faz parte do programa nacional de vacinação de 116 países, Portugal incluído. No mundo ocidental, Europa e América do Norte, o vírus é transmitido, sobretudo, aos jovens adultos por via sexual e através da partilha de seringas entre os utilizadores de drogas injectáveis.

O vírus provoca hepatite aguda num terço dos atingidos, e um em cada mil infectados pode ser vítima de hepatite fulminante . Em dez por cento dos casos, a doença torna-se crónica , verificando-se esta situação mais frequentemente nos homens. Em Portugal, calcula-se que existam 150 mil portadores crónicos do VHB ., mas infelizmente não há dados oficiais sobre o assunto.

Formas de contágio da hepatite B ?

Os modos principais de transmissão são:

As relações sexuais sem preservativo;
A gravidez de uma mãe infectada para o seu filho;
A partilha de agulhas, seringas ou material utilizado na preparação de drogas e que esteja infectado;
As tatuagens, "piercings", acupunctura, perfuração das orelhas realizadas com material não esterilizado;

A partilha de objectos de uso pessoal: escovas de dentes, lâminas de barbear ou outros que possam estar contaminados com sangue.


Como prevenir a hepatite B ?

Vacina:

Para a prevenção da hepatite B existe uma vacina que é muito eficaz e que está incluída no Plano Nacional de Vacinação para as crianças e jovens;
Caso tenha mais de 25/30 anos peça ao seu médico de familia o rastreio para as hepatites A e B. Caso não tenha anti corpos destas hepatites solicite-lhe a vacina.

Se não está vacinado deve:

- Usar SEMPRE preservativo;
- Usar luvas quando se entra em contacto com sangue ou objectos com sangue;
- Não partilhar objectos de uso pessoal cortantes ou perfurantes, como lâminas de barbear, tesouras ou alicates de unha, escovas de dentes, etc...

 
Tratamento da hepatite B crónica

A hepatite B crónica tem tratamento, que em muitos casos, é eficaz e impede a evolução para cirrose e cancro do fígado. Antes do tratamento entretanto é necessária uma correcta avaliação de diversos factores que irão determinar a melhor terapêutica a seguir. É importante que os doentes crónicos mantenham-se sempre actualizados sobre os novos estudos e terapêuticas e que tenham um controlo periódico da doença através de análises específicas.


Se suspeita estar contaminado com algum tipo de hepatite, procure sempre um médico especialista (hepatologista, gastrenterologista ou nfecciologista).


Os números da Hepatite B

A hepatite B é uma das principais doenças humanas: estima-se em 2 mil milhões o número de pessoas infectadas pelo vírus, do qual mais de 350 milhões tornam-se portadores crónicos e podem transmitir o vírus durante anos. Os portadores crónicos são expostos a um risco elevado de morte por cirrose ou cancro do fígado, doenças que fazem cerca de um milhão de mortes anualmente.

Na maior parte dos países em desenvolvimento (na África subsariana, numa grande parte da Ásia e do Pacífico), os portadores crónicos representam 8% a 10% da população. Nestas regiões, o cancro do fígado causado pela hepatite B está entre as três primeiras causas de morte por cancro nos homens. A Amazónia e o Sul da Europa oriental e central estão igualmente muito afectadas. No Médio Oriente e no subcontinente indiano, os portadores crónicos representam cerca de 5% da população.

A infecção é menos frequente na Europa ocidental e na a América do Norte, onde os portadores crónicos representam menos de 1% da população.

Em França, país que pode servir de referência porque dispõe de dados estatísticos credíveis e actualizados, estima-se que 20.000 novas contaminações e 1.000 novas infecções crónicas ocorrem cada ano. Estima-se que cerca de 1.000 mortes anuais estão ligadas a uma infecção crónica pelo vírus da hepatite B, em França.

Em Portugal, infelizmente, não existem dados oficiais.

Fonte: http://www.soshepatites.org.p

—————

Voltar