Prurido (comichão) Vulvar

A vulva é a zona exterior do aparelho genital feminino, constituída principalmente pelos grandes e pequenos lábios.
São frequentes as queixas de prurido nesta região, que se pode tornar extremamente incomodativo e persistente, acabando muitas vezes por ser agravado pelas lesões que o próprio coçar vai originar.

As principais causas do prurido vulvar têm a ver com infecções, lesões da pele, contacto com substâncias irritativas, atrofia vaginal e, raramente, cancro.
Os primeiros três grupos de causas são os que aparecem geralmente nas mulheres jovens, enquanto nas mais velhas há que considerar também a possibilidade das duas últimas hipóteses.

Sendo as infecções muito frequentes, há que analisar se há ou não um corrimento vaginal, muitas vezes causado por Cândidas (fungos), Thricomonas, ou outros agentes menos frequentes. Esse corrimento vai transportar para o exterior da vagina os agentes infecciosos levando à irritação e inflamação local com o prurido como principal manifestação.

Nas mulheres diabéticas ou obesas, pode também haver uma micose local sem que haja corrimento vaginal. Nestes casos é frequente a observação de zonas avermelhadas e com contornos bem definidos mas irregulares, que se podem estender até ás virilhas.

A inflamação das glândulas que existem normalmente na pele junto à vulva (glândulas de produção de suor e lubrificação), pode também ser uma causa de prurido e ardor, bem como até de feridas mais ou menos profundas.

Algumas das doenças sexualmente transmissíveis como o herpes, HPV, e pediculose, são frequentes causadores de prurido.

Também podem aparecer determinadas lesões da pele, muitas vezes com carácter crónico, em que existe uma inflamação mais ou menos intensa, como é o caso da dermatite seborreica, eczemas e líquen plano.

A irritação vulvar, é muitas vezes causada pela utilização de agentes químicos ou pelo próprio acto de coçar. O uso de desinfectantes vaginais, desodorizantes, antissépticos, espumas de banho, ou mesmo contraceptivos como os preservativos e espermicidas, é uma das causas mais frequentes. A falta de higiene também pode ser uma das causas, bem como o uso de roupa interior de nylon, calças apertadas, ou uma depilação pouco cuidadosa.

Nas mulheres mais velhas, sobretudo após a menopausa, dá-se uma diminuição das secreções normais da vagina e existe uma atrofia dos tecidos e camada subcutânea (debaixo da pele) que podem levar à menor capacidade de resistência da vagina e vulva às agressões. Daí resultam muitas vezes prurido, ardor e dor nas relações. Nestes casos, o tratamento local (com cremes) ou geral (com comprimidos ou adesivos) com substitutos hormonais têm resultados excelentes. (Menopausa)

Embora seja algo de raro, é necessário haver uma certa vigilância nas mulheres após a menopausa que se queixam de prurido persistente, e verificar regularmente se existe o aparecimento de lesões que indiciem tratar-se de um cancro vulvar. Nesse caso é urgente a intervenção cirúrgica atempada.

 

Fonte: http://www.sexualidades.com